Destaques Home



63 anos do IAB-BA

aniversário iabba

No dia 30 de abril, o IAB-Bahia completa 63 anos. A entidade é de grande importância para os profissionais e estudantes de arquitetura e urbanismo, assim como para a sociedade, pois traz nos seus Estatutos o princípio de defesa da cidade, do patrimônio cultural local e nacional e do meio ambiente. Em comemoração à data, o Instituto está organizando um debate sobre a cidade de Salvador e o seu patrimônio histórico. Mais adiante serão divulgados os detalhes da programação. A importância do IAB-BA e o seu papel social será ressaltando ao longo dos próximos dias através de depoimentos de ex-presidentes e da atual presidente do Instituto, Solange Souza Araújo. Acompanhem! #iabba #aniversário #63anos #arquitetura#urbanismo #patrimônio #salvador #cidades

 

 

O IAB, OS ARQUITETOS E A SOCIEDADE

solangeO Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) foi criado com o objetivo de prestigiar a profissão do arquiteto e urbanista no Brasil. É uma entidade profissional organizada em rede, através de departamentos estaduais, tendo uma direção nacional (DN-IAB) e, a sua instância máxima de deliberações através do Conselho Superior do IAB (COSU- IAB). Foi criado em 1929, no Rio de Janeiro, e o Departamento da Bahia (IAB-BA), em 1954, em Salvador. A meta principal do IAB é apresentar para a sociedade a importância do projeto de arquitetura e urbanismo na construção de cidades de qualidade e criar o debate sobre a cultura arquitetônica e urbanística.

Na atualidade, tem papel fundamental de estabelecer a discussão sobre os desafios contemporâneos que se apresentam nas questões da preservação da cultura e das políticas urbanas, dentre elas, o patrimônio histórico cultural, habitação, infraestrutura, mobilidade. Além do exercício e formação profissional, dentre outros. Assim, o IAB-BA tem pautado o seu trabalho mais especificamente na discussão sobre políticas urbanas com participação efetiva nas oficinas e audiências públicas sobre a legislação urbanística de Salvador. Tendo inclusive organizado o Colóquio “O PDDU e a Legislação Urbanística: Para Que e Para Quem?”, em julho de 2015, assim como na discussão sobre a LOUOS de Salvador.

Também têm destaque as suas ações sobre política de preservação do patrimônio histórico cultural de Salvador, quando em 2015, o IAB-BA em conjunto com o CAU-BA apresenta denúncia à UNESCO sobre o estado de abandono do seu Centro Histórico. “Salvador adquiriu destaque nacional e internacional, ao longo da sua história, por força do patrimônio aqui consolidado – extenso conjunto arquitetônico, urbanístico e paisagístico, que em essência traduz a própria cidade, a sua área central, fundacional e tradicional – maior e mais importante conjunto colonial da América Latina. Conjunto urbanístico este não se pode referir apenas ao casario ou a sua restrita relação com os espaços públicos: ruas, becos, ladeiras, praças, largos e/ou outros espaços, mas a algo que extrapola em muito o conceito de lugar e ganha a dimensão da paisagem urbana. Paisagem percebida e construída em memória coletiva, que se faz a partir de diversos ângulos, considerando a topografia da cidade; a paisagem criada da cidade para a baía e da baía para a cidade; dentre outras relações”.

Vale destacar ainda a Ação Civil Pública movida pelo IAB-BA contra a construção do empreendimento residencial La Vue, na Ladeira da Barra, em área de entorno de bem tombado pelo IPHAN-BA, o Outeiro e a Igreja de Santo Antônio da Barra, além dos fortes e do Cemitério dos Ingleses. Ação esta que resulta na anulação da autorização de construção dada pelo IPHAN-BA e determina limite de gabarito de altura para a edificação e, para áreas de entorno, caso ainda exista interesse em construir o edifício.

Muitos outros debates são organizados pelo IAB-BA, como o Simpósio sobre Minha Casa Minha Vida (HIS), discussão sobre o Projeto de Urbanização da Barra, a Exposição dos Projetos de João Filgueiras Lima (Lelé), Seminários sobre o Centenário do Arquiteto Diógenes Rebouças e Exposições, o Colóquio “Patrimônio: Para Quem e Para Que”, Plano Municipal de Gerenciamento Costeiro de Salvador e Urbanização da Orla de Stella Mares – Praia do Flamengo, Fórum de Preservação e Desenvolvimento Urbano, a Premiação de Arquitetura, dentre muitas outras atividades. Em processo, o IAB-BA organiza o maior evento sobre patrimônio edificado no Brasil, o ArquiMemória 5 – Encontro Internacional sobre Preservação do Patrimônio Edificado, programado para acontecer entre os dias 26 e 30 de novembro de 2017.

Por fim cabe aqui destacar a luta do IAB pela contratação de projetos completos e pelo Concurso Público de Projeto, entendendo-o como instrumento de contrato mais democrático e que garante projetos mais criativos e ajustados à realidade local, com menores custos e certamente com menor tempo de execução.

Assim, o IAB é uma entidade de grande importância para os profissionais e para os estudantes da arquitetura e urbanismo, assim como para a sociedade, pois traz nos seus Estatutos o princípio de defesa da cidade, do patrimônio cultural local e nacional e do meio ambiente.

Associe-se ao IAB

Solange Souza Araújo

Presidente do IAB-BA (24/01/2014- 20/12/2016 – 20/12/2016-19/12/2019)

 

IAB-BA, 63 ANOS

mariaImpossível pensar em toda a caminhada da minha geração de estudantes de arquitetura e de arquitetos, sem a presença forte, mobilizadora e acolhedora do IAB.

A alegria de ser sócia-aspirante, de ter o IAB presente na faculdade.

IAB como polo de mobilização e articulação por uma cidade mais humana.

IAB com papel estratégico na construção do convênio entre as associações e institutos de profissionais liberais, mostrando na prática, em tempos tão difíceis, a possibilidade de uma frente de luta pela democracia.

IAB como espaço de encontros e articulação permanente em torno de uma visão das cidades, especialmente Salvador, em que os direitos de sua população dessem o tom do olhar de arquitetos. Em que a estética fosse ditada pela ética e pelo respeito.

IAB e suas reuniões e encontros, respeito pelos colegas mais velhos e experientes, acolhimento aos novos que chegavam. Presença carinhosa e competente de d. Silvia.

IAB buscando e enfrentando, sem medo, novos desafios que sempre apareciam. E não foram poucos durante a ditadura e nos anos de construção da democracia.

Marotinho, Abaeté, Salvador Cota Zero, Verticalização da Orla. Assuntos do século passado?

IAB protagonista. Orgulho de ter a sede linda na Ladeira da Praça como espaço de todos.

IAB, espaço de luta e de festas. Como esquecer os forrós e festas do IAB?

Posso dizer, com certeza, que minha formação como profissional e cidadã tem a marca indelével do que aprendi e vivenciei no IAB. Marca de colegas e movimentos que foram referência para mim, ajudando a entender que a arquitetura, o urbanismo e seus profissionais, podem ser construtores da possibilidade de cidades como espaços de convivência humana digna. Espaços de garantia de direitos.

Parabéns IAB-BA! E um abraço carinhoso para os que continuam e os que chegaram, mantendo o IAB forte e presente na vida dos arquitetos e arquitetas!

Maria de Salete Silva

Ex-Presidente do IAB-BA (18/12/1981-18/12/1985)

 

A MISSÃO DO IAB-BA

pauloAs primeiras tentativas de criação de uma entidade dos arquitetos brasileiros data do início do século passado. Mas o Instituto de Arquitetos do Brasil só se constitui na antiga capital do país, o Rio de Janeiro, em 1934. Como estrela maior em torno ao IAB se formou uma constelação de entidades com atribuições específicas, como a Abap, a Abea, a Asbea, a Federação dos Sinarq e o CAU, que reforçariam a luta do IAB em defesa da nossa profissão.

Mais tarde na Bahia, em 1954, se criou o IAB-BA. Eu estava no segundo ano do curso de arquitetura da Escola de Belas Artes da UFBA, quando o professor Bina Fonyat, membro da diretoria do IAB nacional, no Rio de Janeiro, levantou a bandeira da criação do departamento baiano do IAB, assumido pelo professor Diógenes Rebouças. Havia uma interação enorme entre profissionais e estudantes de arquitetura na luta por uma melhor qualidade de vida da nossa população. Um dos pontos mais altos dessa luta ocorreu em 1966, durante o VI Congresso de Arquitetos do Brasil, na sede recém-inaugurada do IAB-BA, na Ladeira da Praça. Fomos literalmente sitiados pela polícia do Regime Militar, que ameaçava invadir o prédio e prender a nós todos. Só através da intervenção de alguns políticos junto ao governador o cerco foi levantado.

Entre 2006 e início de 2010 tive a honra de presidir o IAB-BA, quando iniciamos um processo de renovação do órgão, com a atualizamos de seu estatuto, a aquisição e instalação de uma filial operacional no Rio Vermelho e aprofundamento do debate do anteprojeto de PDDU/2004 de Salvador. Foram anos de muito trabalho, mas também de grande satisfação de comunhão com toda a classe.

Paulo Ormindo de Azevedo

Ex-presidente do IAB-BA (29/02/2006-26/01/2010)

 

O IAB E A VALORIZAÇÃO DA PROFISSÃO

danielHistoricamente, o IAB, com a sua estrutura departamentalizada X Estados, já teve participação de destaque na formulação de políticas urbanas, como aconteceu em 1963, quando contribuiu decisivamente na formação das bases da reforma urbana.  Sendo também um de seus objetos a congregação dos arquitetos para defender a valorização da nossa profissão, criando melhores condições para seu exercício.

Com a criação do CAU – Conselho de Arquitetura e Urbanismo, em 2011, depois de uma batalha, entramos numa nova fase de consolidação do exercício da arquitetura e urbanismo.  Nesse sentido, ainda há muito o que fazer. Hoje contamos com a existência do CAU, cuja criação o IAB deu uma decisiva contribuição. Entendemos que o CAU e as entidades que o compõem constituem um sistema com funções diferenciadas que se complementam, ficando com as entidades, entre elas o IAB, a responsabilidade de subsidiar o CAU, levantando questões que interferem negativamente no exercício profissional de arquitetos e urbanistas, propondo soluções para o CAU implementar.

Temos muito caminho a percorrer para recuperar a dignidade da nossa profissão. Estamos somente no início dessa nova etapa que superaremos com o esforço de todos agrupados nas suas entidades.

Daniel Colina

Ex-presidente do IAB-BA (26/02/2004-29/02/2006 / 27/01/2010-03/02/2012)



Sede

Edifício dos Arquitetos
Ladeira da Praça nº 9, Centro

(71) 3335-1195
iab-ba@iab-ba.org.br

Escritório Executivo

Ed. Raphael Gordilho, Av. Lucaia 317, sala 203,
Rio Vermelho, CEP 41940-660 Salvador, BA


Institutos de Arquitetos do Brasil - Departamento da Bahia. © 2017. Todos os direitos reservados.